20 de nov de 2010

Quem eu sou - Hallelujah

"No primeiro dia eu fiquei muito nervosa, pra gravar as vozes porque ja faziam 4, quase 4 anos que eu não gravava um disco em estudio... então, sei lá... eu acho que eu perdi um pouco a pratica eu não sei o que acontece.. só sei que era um... Eu... senti muita responsabilidade por ser o primeiro projeto solo, primeiro disco solo..."
Essas foram as palavras da Sandy Leah no seu making of do seu disco Manuscrito.
Admirável a transparência de Sandy de demonstrar puplicamente sua insegurança depois de um tempo "parada" em relação ao seu trabalho. Eu mais que ninguem compreendo essa "insegurança". Perdemos o ritmo... é dificil explicar! Acho que só quem ja viveu isso para compreender bem esse "drama".
Ontem estava conversando com o meu marido e ele comentando comigo sobre uma palestra que ele assistiu sobre Neuro Competência, e ele abordou um caso onde fizeram uma pesquisa de alguns funcionários que ficaram parados por um tempo e ao retomar sua atividade, não conseguiam voltar ao mesmo ritmo. A explicação parece estar na própria musculatura do cerebro, como no nosso corpo, quando no momento que paramos de praticar certos exercícios nosso corpo desacostuma a certas atividades. Impressionante como algumas explicações são fundamentais para compreender melhor o que acontece conosco, né? Criamos sem querer certas frustrações ou geramos angustias demasiadas por não entender que muitas vezes a causa ou melhor a solução é tão simples. Voltar a exercitar! rs
Bem, nessas a gente acaba voltando a nos entender melhor e confirmando o "Quem eu sou". E o fato é que com insegurança ou não a Sandy tenta descrever nesse seu projeto solo, nas letras e até mesmo no desenvolvimento linear do CD, um projeto pessoal dela, que pode parecer até um pouco "egocêntrico" mas que reflete bem um momento dela onde ela quer desenvolver um trabalho só dela. Eu gosto disso. Aprecio.
... Bem... Eu nessas "fuçadas" desse CD da Sandy, acabei encontrando um vídeo que gostei muito, num dos dias em que ela gravou com a Nerina Pallot em seu estudio em Londres. E acabou me remetendo algumas lembranças da época que eu ia com frequencia na chácara dos meus tios em Valença... Onde meu pai junto ao orgão, eu, minha mãe, primas, primos e tios, alguns com violão... cantando cânticos! Bons tempos!
A música sempre está em nossas vidas de alguma forma, né? Hallelujah por isso!!

...

Um comentário:

Poline disse...

Hum... "Onde meu pai junto ao orgão, eu, minha mãe, primas, primos e tios, alguns com violão... cantando cânticos! Bons tempos!"
Faltou dizer "minha irmã" :(
Mas tudo bem... nessas horas eu devia estar correndo e brincando pela chácara com a Marilice...rsrs...
Adorei esse video da Sandy...cantaram super calminho né?
Bom...deu uma paz...
Bjs irmã...te amo!!!